Iniciativas
Iniciativas
Ano 2013
Este Natal, a SER+ realizou o sonho de 64 crianças com apoio do BPI e de 323 pessoas com o apoio de vários particulares e de empresas - 18 de Dezembro, SER+, Cascais
Este Natal, a SER+ realizou o sonho de 64 crianças com apoio do BPI e de 323 pessoas com o apoio de vários particulares e de empresas - 18 de Dezembro, SER+, Cascais

Os Balcões de Cascais seleccionaram a SER+ como Associação a ser contemplada pela Campanha "Árvores de Natal BPI 2013 - Ajude uma Criança a Sorrir!". Os Balcão, Cascais-Guia, Cascais-Cidadela, Cascais-Estação, Cascais-Continente e Alapraia, convidaram os seus clientes a participarem através de um cartão onde vinha indicado o nome da criança, a idade e o presente desejado. "De facto, os nossos clientes foram bastante receptivos e o resultado acho que foi excelente", diz Vânia Guerreiro. A equipa da SER+ fará chegar todos estes presentes aos pais destas 64 crianças, juntamente com um belo e recheado cabaz de Natal estendendo a sua solidariedade a mais de 170 famílias e que contou com a generosidade de dezenas de pessoas.

Campanha: Árvores de Natal BPI 2013 - Ajude uma Criança a Sorrir!
Foto: da esquerda para a direita, Pedro Aguas, José Valentim, Andreia Pinto Ferreira, Pedro Silvério Marques, Susana Paiva, Sara Rodriguez, Liliana Domingos, João Fial, Ana Nunes, Carla Almeida, Paula Monteiro, Bruno Matos e César Passos.
Campanha: Árvores de Natal BPI 2013 - Ajude uma Criança a Sorrir!
Foto: Da esquerda para a direita: Ana Duarte, Ana Filipa Lopes, Liliana Domingos, Ana Paula Farinha, Vânia Guerreiro, Verónica Dias, Sónia Adão, Nuno Atouguia, Cristina Resende, Andreia Pinto Ferreira, Sara Rodriguez e Paula Monteiro.
Um dia.. vou poder tirar a máscara, 17 de Dezembro, SER+, Cascais
Um dia.. Vamos Poder tirar a máscara - Projecto InterAge
Um dia.. vou poder tirar a máscara, 17 de Dezembro, SER+, Cascais

No passado dia 17, realizou-se, na Ser+, o encerramento do projeto InterAge. Este projeto decorreu entre abril e novembro do presente ano, tendo promovido o bem-estar, autonomia e integração social dos clientes de SAD (Serviço de Apoio Domiciliário). A atividade de encerramento contou com a presença de todos os clientes envolvidos no projeto, colaboradores da associação e da Dra Sónia Garcia, como representante da Câmara Municipal de Cascais, promotor financeiro deste projeto.

VIH e a Sociedade, 6 de Dezembro, Centro de Interpretação Ambiental da Pedra do Sal, Cascais
VIH e a Sociedade, 6 de Dezembro, Centro de Interpretação Ambiental da Pedra do Sal, Cascais

Realizou-se o 2.º debate público alusivo ao tema "Os 30 anos do VIH" com a passagem do filme Uma viagem pelos últimos 30 anos de infeção pelo VIH em Portugal. Tivemos como convidados José Vera, médico no HPP de Cascais, Andreia Pinto Ferreira, coordenadora da Ser+ e Luís Mendão, ativista e presidente do GAT. Esta sessão teve como objetivo sensibilizar profissionais, da área da intervenção social, para questões específicas no acompanhamento psicossocial de pessoas infetadas e/ou afetadas pelo VIH e/ou Sida. Estiveram presentes pessoas de diferentes instituições e áreas de intervenção, que sentiram este debate como uma oportunidade de partilha e promoção de boas práticas no acompanhamento desta população. Obrigada a todos pelo sucesso e pela vossa especial participação.

Centro de Interpretação Ambiental da Pedra do Sal 30 anos de infeção pelo VIH em Portugal imagens uma imagem do filme
Uma viagem pelos últimos 30 anos de infeção pelo VIH em Portugal.
InterAge - Atividade cultural e de lazer - Visita ao Jardim Zoológico, 10 de Novembro, Lisboa
Projeto InterAge com o apoio da Plataforma SAD+ da Câmara Municipal de Cascais
InterAge - Atividade cultural e de lazer - Visita ao Jardim Zoológico, 10 de Novembro, Lisboa

No âmbito do projeto Interage , desenvolvido no serviço de apoio domiciliário da Ser+, foi realizada a segunda atividade cultural e de lazer, visita ao Jardim Zoológico, no dia 10 de outubro de 2013.

Este local foi escolhido pelos clientes do Projeto InterAge, porque, apesar de ser um local geograficamente perto de Cascais, a maioria dos clientes nunca o tinha visitado, existindo, por isso, uma grande curiosidade e expectativa com o tipo de animais que se iria encontrar.

No decorrer do dia no Zoo assistimos ao espetáculo na Baía dos Golfinhos, visitámos o reptilário, passeámos pelo parque de modo a ver os animais, entre os quais o Templo dos Primatas, as chitas, os leopardos, as aves, pinguins, girafas e elefantes. Após reunida a coragem suficiente visitámos o parque de teleférico, no qual foi possível ver quase todo o Zoo. Após o almoço continuámos a visita ao parque, desta vez de comboio, terminando o nosso dia, a descansar e a degustar um gelado.

No final da visita, os clientes descreviam a viagem da seguinte forma: "o passeio foi bonito, gostei de visitar e de voltar cá, há mais de 15 anos que não vinha cá...", "adorei... nunca pensei que houvesse tantos animais", "ainda bem que andei de teleférico, vi tudo de cima", "gostei de almoçar com os meus colegas neste jardim", "Foi um dia lindo, senti-me criança outra vez...". Para os elementos da equipa que acompanhou os clientes neste dia, a avaliação foi a seguinte: "Excelente dia de convívio e aprendizagem, o grupo ficou mais coeso, fortaleceram-se as amizades".

Visita ao Jardim Zoológico
Campanha Só Precisamos Saber Ouvir - 25 Outubro, La Villa, Cascais
Campanha Só Precisamos Saber Ouvir - 25 Outubro, La Villa, Cascais

SER+ Mulher Meeting

Um dia... uma noite para recordar!

Um momento tão marcante que, estou certa, "aquelas" e "aquele" que a vivenciaram vão guardar para sempre nas suas memories!

Um testemunho que ouvimos de "alguém" que lhe deu voz e, só nós, os que lá estiveram, tiveram o privilégio de lhe ver o rosto, acalmar o natural nervosismo que a invadia, tocar-lhe na mão, abraçá-la e encorajá-la dizendo-lhe que a grande partida que o destino lhe tinha pregado… poderia ter acontecido a qualquer um de nós.

A "Sermais" está muito agradecida pela vossa presença e conta sempre convosco!

Margarida Prieto

Associação SER+ lança Campanha "Só Precisamos Saber Ouvir", um filme emotivo que conta a história de uma mulher que foi infetada pelo VIH que teve de ter a coragem de contar à filha e de aprender a viver com uma nova realidade, "é importante incentivar outras mulheres a envolverem-se em campanhas como esta que me ajudou e que espero que ajude muitas outras pessoas. Mesmo sem darmos a cara é importante darmos a voz se queremos ser ouvidas nos locais onde as decisões políticas sobre este tema são tomadas".
A campanha visa também incentivar as pessoas infetadas com o VIH a envolverem-se nos organismos públicos, privados e outros, ou seja, nos organismos onde são tomadas as decisões sobre este tema e onde se planeiam as estratégias de intervenção dos projetos mas também nos locais onde se podem fazer ouvir.

fotos da Campanha - Só Precisamos Saber Ouvir
Fotos da Campanha "Só Precisamos Saber Ouvir" - clique aqui para visualizar todas »
VIH e a Sociedade, 23 de Julho, Centro de Interpretação Ambiental da Pedra do Sal, Cascais
VIH e a Sociedade, 23 de Julho, Centro de Interpretação Ambiental da Pedra do Sal, Cascais

VIH no Feminino, 1.º Debate Público aberto aos técnicos da área da intervenção social com atuação no Concelho de Cascais. Participação especial de Inês Vaz Pinto da Unidade de Tratamento HIV no HPP de Cascais, Carla Almeida, psicóloga da SER+ e o testemunho de uma mulher que vive com o VIH. Obrigada a todos pelo sucesso e pela vossa especial participação.

fotos: VIH e a Sociedade
Fotos desta Iniciativa: VIH e a Sociedade - clique aqui para visualizar todas »
InterAge - Atividade cultural e de lazer - Visita a Fátima e à Nazaré, 16 de Julho
Projeto InterAge com o apoio da Plataforma SAD+ da Câmara Municipal de Cascais
InterAge - Atividade cultural e de lazer - Visita a Fátima e à Nazaré, 16 de Julho

No âmbito do Projeto InterAge desenvolvido no Serviço de Apoio Domiciliário da Ser+, foi realizada a primeira atividade cultural e de lazer, viagem a Fátima e Nazaré, no dia 16 de Julho de 2013.

Este destino de cultura e lazer foi sugerido no decorrer das sessões desenvolvidas com os clientes que estão integrados no projeto. Elegeram Fátima como local preferencial de culto, de partilha e solidariedade, o qual gostariam de visitar, pois alguns não conheciam e outros há muitos anos que não visitavam. A Nazaré foi eleita pela sua beleza natural, por ser um local turístico e pela lenda associada a Nossa Senhora da Nazaré.

Em Fátima visitou-se a Basílica de Nossa Senhora do Rosário de Fátima, Monumento ao Sagrado Coração de Jesus e a Basílica da Santíssima Trindade. Após o almoço num restaurante local, dirigimo-nos para a Nazaré, onde se visitou o Sítio da Nazaré e a Praia.

No final do dia, os clientes descreviam a viagem da seguinte forma: "o passeio foi bonito, gostei de visitar Fátima e a Nazaré...", "a partir de agora somos todos colegas", "foi tudo bom, senti-me bem", "arranjámos amizades novas", "gostei de ver a praia". Para um dos elementos da equipa que acompanhou os clientes neste dia a avaliação foi a seguinte: "Foi um dia muito agradável, produtivo e de convívio entre clientes, e com os clientes, para além do contexto do dia-a-dia, que algumas vezes se resume na entrega de refeições e medicação."

 

InterAge Atividade cultural e de lazer Viagem a Fátima e Nazaré
InterAge Atividade cultural e de lazer Viagem a Fátima e Nazaré - clique aqui para visualizar todas »
Mary Fisher fala de VIH - 20 Junho, 17:00 - SER+, Cascais
Mary Fisher fala de VIH - 20 Junho, 17:00 - SER+, Cascais

A SER+ teve o prazer de receber a convite da Embaixada dos Estados Unidos da América, Mary Fisher nas suas instalações no dia 20 de Junho de 2013.
Utilizando-se como um exemplo vivo, de uma mulher branca, com 65 anos, proveniente de uma família de elevada condição social e mãe de dois filhos, Mary Fisher dá uma cara diferente de alguém que vive com o VIH. Mary Fisher é escritora, artista e ativista. Passou os últimos 20 anos a partilhar mensagens-chave como a não discriminação às pessoas que vivem com o VIH e como qualquer pessoa pode contrair a infeção pelo VIH se não se proteger.

Da esquerda para a direita: Margarida prieto, Mary Fisher, Pedro Silvério Marques e Andreia Pinto Ferreira
Da esquerda para a direita: Margarida prieto, Mary Fisher, Pedro Silvério Marques e Andreia Pinto Ferreira

A 19 de Agosto de 1992, um ano após ter tido conhecimento que estava infectada pelo VIH, uma adorável mãe de dois filhos pré adolescentes de 44 anos provocou uma verdadeira tempestade com o seu discurso. Dirigiu-se aos republicanos e fez do seu discurso um dos mais influentes da história norte-americana do século XX.

Iniciou-o desta forma: "Trago-vos um desafio, não um discurso de congratulação pessoal. Quero a vossa atenção, não os vossos aplausos. Nunca pedi para ser seropositiva, mas acredito que em tudo existe um propósito e por isso estou aqui perante vós e perante a nação, de bom agrado." (...)

(...) "Esta noite represento a comunidade das pessoas que vivem com o VIH/SIDA, cujo seus membros foram recrutados à força de todos os segmentos da sociedade. Embora seja branca e seja mãe, sou também a mãe daquela criança negra que luta com sondas num hospital em Filadélfia. Embora seja uma mulher e tenha contraído esta infecção no meu casamento, e aprecie o caloroso apoio da minha família, sou também o solitário homossexual que se aquece através de uma vela do vento frio da rejeição da sua família."(...)

e, continuou "O apelo que faço ao meu Partido, é que assuma uma posição pública, que seja tão humana como foi a atitude do Presidente Bush e da Primeira Dama, abraçaram-me a mim e à minha família de uma forma que jamais esquecerei. Em vez de julgarem demonstraram afeto. Nos momentos difíceis, animaram-nos. Nas horas mais sombrias, vi-os a aproximarem-se não só de mim como dos meus pais com uma mágoa invulgar e com um carinho especial, que apenas pode vir de pais que também já se debruçaram horas a fio à cabeceira de um filho à beira da morte." (...)

(...) "Mas não ajudamos a causa do Presidente se enaltecermos a família americana e ignorarmos um vírus que a destrói. Temos que ser coerentes se queremos que acreditem em nós. Não podemos amar a justiça e ignorar o preconceito, amar os nossos filhos e ter medo de os ensinar. Seja qual for o nosso papel como pais ou decisores políticos, temos que agir tão eloquentemente como falamos – caso contrário, não temos integridade."

(...) "O meu pai dedicou grande parte da sua vida a lutar contra outro holocausto. Faz parte da geração que ouviu o Pastor Martin Niemöller sair dos campos nazis e dizer "Vieram atrás dos Judeus e eu não era Judeu, por isso não protestei. Vieram atrás dos sindicalistas e eu não era sindicalista, por isso não protestei. Vieram atrás dos Católico-Romanos e eu não era Católico-Romano, por isso não protestei." A lição que a História ensina é esta: Se acredita que está seguro, está em risco. Se não vê este assassino a perseguir os seus filhos, olhe novamente. Não existe família ou comunidade, raça ou religião, nenhum lugar na América ou no mundo que esteja segura. Até compreendermos genuinamente esta mensagem, somos uma nação em risco." (...)

(...) "A minha família tem sido um grande apoio para mim. O meu pai, que tem 84 anos, que andou em busca da salvação de nações, não aceitará que não pode salvar a sua filha. A minha mãe recusa-se a desistir, ainda me telefona a meia da noite a contar anedotas deliciosas que me fazem rir. Irmãs, amigos, o meu irmão Phillip, todos me ajudaram a ultrapassar os momentos mais difíceis. Sou abençoada, profundamente abençoada, por ter uma família como a minha. Mas nem todos vocês são tão abençoados como eu sou. São pessoas que vivem com o VIH mas não se atrevem a dizê-lo, perderam entes queridos, mas não se atreveram a murmurar a palavra SIDA. Choram em silêncio, sofrem sozinhos. Tenho uma mensagem para vós: Não são vocês que devem sentir vergonha, somos nós. Nós que toleramos a ignorância e praticamos o preconceito, nós que vos ensinamos a ter medo. Temos que levantar o véu do silêncio, para que com segurança alcancem a compaixão. A nossa tarefa é procurar dar segurança aos nossos filhos mas não em silêncio mas, sim agindo eficazmente." (...)


Whisper of Aids

Com um talente único e envolvente como palestrante, Mary Fischer tem viajado por todo o mundo como ex-embaixadora do Programa Conjunto da ONU para o VIH/SIDA e partilhou a história da sua vida e da sua jornada, em Cascais, na SER+ a uma dezena de outras mulheres que vivem com a mesma condição de saúde mas ainda com o estigma e com o medo de serem objeto de discriminação por parte de outros. Ouviram-na e partilharam as suas histórias e aguardam o seu momento para agirem.

 

Obrigada, Mary!

Dia da Mulher - 9 de Março, SER+, Cascais
Michel Sibidé, Diretor Executivo da ONUSIDA
Dia da Mulher - 9 de Março, SER+, Cascais

É crucial terminar com a violência contra as mulheres para que assim se ponha fim à epidemia do VIH/SIDA, Michel Sibidé, Mensagem do Diretor Executivo da ONUSIDA no dia Internacional da Mulher.

Genebra, 8 de Março - Neste dia em que as mulheres são homenageadas, deixem-me falar diretamente para os homens. Como maridos, companheiros, irmãos e filhos, devemos ser parte da solução para construir um mundo onde as mulheres e os homens são iguais.

Um mundo em que somos iguais, é um mundo onde todos, mulheres e homens têm igualmente acesso à prevenção para a infeção pelo VIH, aos cuidados de saúde, ao tratamento e ao apoio psicossocial. É um mundo onde as mulheres e os homens têm a mesma capacidade de se protegerem da infeção pelo VIH. E é um mundo onde as mulheres adultas e as mais jovens podem alcançar todo o seu potencial - sem medo da violência dos homens.

Acabar com a violência contra as mulheres não é apenas uma urgente imposição de respeito pelos direitos humanos - é um fator crítico para acabar com a epidemia do VIH/SIDA. Pelo menos sete em cada dez mulheres sofreram, uma vez na vida, um ato de violência. A violência, ou medo dela, pode impedir as mulheres de negociarem práticas de sexo seguro. Ao mesmo tempo, as mulheres que vivem com a infeção pelo VIH são, muitas vezes, mais vulneráveis à violência, o que as impede de obter os cuidados de saúde e os tratamentos de que necessitam.

SER+ Mulher, dia 9 de Março de 2013-03-15
"Ganhei coragem... algum dia temos que SER+ mais fortes que os nossos medos... Hoje para mim foi um dia assim... muito obrigado pela vossa ajuda!"
SR, 9 de Março de 2013

Hoje metade das pessoas que vivem com VIH, são mulheres. A cada minuto, uma jovem é infetada pelo VIH. Isto não é aceitável. Só quando valorizarmos a saúde e o bem-estar de uma rapariga da mesma forma como valorizamos as de um rapaz e somente quando soubermos ouvir e agir da igual forma as vozes das mulheres dos homens - só então teremos hipótese de terminar com esta epidemia.

Neste Dia Internacional da Mulher, conto com vocês para nos mantermos unidos enquanto comunidades protetoras. Tenhamos como objetivos a dignidade partilhada, o respeito mútuo e um renovado compromisso para pôr fim à violência contra as mulheres, adultas e jovens.

Comissão para a Cidadania e a Igualdade do Género
Comissão para a Cidadania e a Igualdade do Género
Em Portugal, a Comissão para a Cidadania e a Igualdade do Género, refere o seguinte: A violência doméstica configura uma grave violação dos direitos humanos, tal como é definida na Declaração e Plataforma de Ação de Pequim, da Organização das Nações Unidas (ONU), em 1995, onde se considera que a violência contra as mulheres é um obstáculo à concretização dos objetivos de igualdade, desenvolvimento e paz, e viola, dificulta ou anula o gozo dos direitos humanos e das liberdades fundamentais.
 
SER+ Associação Portuguesa para a Prevenção e Desafio à SIDA
SER+ Associação Portuguesa para a Prevenção e Desafio à SIDA
SER+, no âmbito das comemorações do Dia Internacional da Mulher, uniu-se ao Programa Nacional para a Infeção VIH/SIDA da Direção Geral de Saúde, à AbbVie, à APAV de Cascais, à Dress for Sucess, à Farmácia S. João do Grupo Cordeiro, à Perfumes e Companhia, ao voluntariado e à Organização Moçambicana Dream.
 
Joana Bettencourt
Joana Bettencourt
Programa Nacional para a Infeção VIH/SIDA
"Foi, para mim, uma enorme honra partilhar o Dia Internacional da Mulher celebrado a 9 de março, na companhia da Associação Ser+ e de dezenas de mulheres que vivem com a infeção por VIH em Portugal e que são apoiadas pela associação.

Um dia recheado de histórias de vida de mulheres corajosas que em determinada altura das suas vidas se confrontaram com a notícia de uma infeção que lhes foi transmitida, em situações diversas, associadas às vivências de cada uma. Histórias prenhes de emoções, que
pareciam fazer desmoronar as vidas das pessoas no momento em que se souberam infetadas, mas que encontraram na altura certa, as pessoas certas que as souberam acolher, informar, apoiar, tratar, numa rede que envolve os cuidados hospitalares e organizações da sociedade civil como é o caso do Hospital de Cascais e a Associação Ser+".

Histórias de sucessos, mas também de recuos, recaídas, medos... principalmente, o medo de serem identificadas como estando infetadas, o medo de serem discriminadas e acima de tudo, que os filhos (alguns nascidos já após a infeção, mas que graças ao tratamento nasceram saudáveis) sofram, discriminados pela doença das mães.

No ano em que se assinalam 30 anos após a identificação do primeiro caso de infeção por VIH em Portugal, os doentes e os seus familiares, para além de enfrentarem o sofrimento inerente à infeção, continuam a ser objeto de particular estigma e discriminação. Parece evidente que os avanços significativos verificados nos últimos anos no nosso país, no que ao tratamento da infeção dizem respeito, com repercussões significativas na redução da mortalidade e morbilidade associadas à infeção, a melhoria da qualidade e o aumento da esperança de vida das pessoas que vivem com a infeção, não se fizeram acompanhar de uma redução ou a desejável eliminação dos fenómenos de estigma e discriminação de que são alvo as pessoas que vivem com a infeção por VIH/SIDA.

Assim, mantém-se atual e premente o compromisso de combater as situações de discriminação em relação às pessoas infetadas ou afetadas pela infeção por VIH. Para que as mulheres que partilharam connosco as suas histórias de forma aberta, na segurança das 4 paredes da Associação Ser+, o possam fazer, em qualquer contexto, sem medo de serem discriminadas.
 
Rute Lopes
Rute Lopes, AbbVie
"No dia 9 de Março levantei-me de manhã para mais um dia de trabalho! Apesar de ser um sábado, costuma-se dizer que quem corre por gosto não se cansa, e por isso saí de casa com a sensação de que ia ser um dia bastante diferente da rotina habitual. No entanto, nunca pensei que este dia ia marcar a diferença de todos os outros! Um chorrilho de emoções que não consigo explicar!

Reuniu-se um grupo de mulheres "guerreiras" todas muito diferentes, mas também com algumas semelhanças.
Partilharam as suas histórias, riram e fizeram-me rir, choraram e fizeram-me chorar, e no final do dia fizeram-me colocar em perspetiva tudo o que tinha presenciado e constatei que sou uma privilegiada! Principalmente porque elas me permitiram ouvir as suas experiências e comigo partilharam os seus momentos. Senti-me privilegiada porque fui eu que tive a possibilidade de estar lá e de sair com a sensação de coração "cheio"! Sei que para algumas foi um dia completamente diferente.

A sensação que se sente ao final do dia não é de cansaço, mas sim de uma enorme alegria, por ter contribuído um pouco para que isso acontecesse.
"
 
Margarida Prieto, Presidente da Direção da SER+
Margarida Prieto, Presidente da Direção da SER+
"Ao contrário do que muita gente pensa, eu acho que todos os motivos são bons para se festejar a vida, o estarmos vivos, enfim, a coisa mais importante de tudo: o poder partilhar com aqueles que nos são próximos e queridos, momentos de alegria, de saudável convívio que nos permitem conhecermos-mos melhor uns aos outros.

Por isso achei uma ótima ideia festejar o "Dia Internacional da Mulher", para assim se estreitarem mais os laços da "Família SER+", naquela que queremos que seja a casa de todos (neste caso particular de
"todas"), onde as portas estão sempre abertas para vos receberem e que queremos que sintam que é vossa.

Conforme tive oportunidade de dizer no final daquele dia maravilhoso, saí de lá muito enriquecida pelos lindos momentos de partilha que a Isaura Sigaúque iniciou e cujo testemunho tão simples, tão franco mas tão sentido vindo de uma África longínqua fez com que todas as presentes abrissem o coração e saíssem de lá mais fortes e com mais coragem!
Muito obrigada a todas que colaboraram para tornar este dia um dia tão especial que eu jamais esquecerei!

Bem-hajam e aqui fica a promessa que muitos mais dias destes virão.
"
 
Carolina Gomes, APAV
Carolina Gomes, APAV
"Foi com imenso prazer que participei na iniciativa da Ser + que pretendia celebrar o dia internacional da Mulher. Enquanto Técnica de Apoio à Vítima e representante da Associação Portuguesa de Apoio à Vítima, lutamos diariamente contra o flagelo da violência, independentemente da sua forma, pelo que é sempre gratificante poder partilhar a nossa visão e missão. O sentimento é de união e de partilha e foi com agrado que me juntei a todos aqueles que fazem parte da Ser +, com o intuito de combatermos juntos toda e qualquer forma de discriminação, que é, em ultima instância uma forma grave de violência."
 
Teresa Durão e Rosa Castelo Lopes, Dress for Sucess
Teresa Durão e Rosa Castelo Lopes, Dress for Sucess
"A Dress For Success Lisboa, foi convidada a participar no dia da mulher na SER+ e ainda bem que aconteceu pois foi uma experiência muito positiva. A nossa missão além de muitas outras é levar mensagem de otimismo perante as adversidades da vida. Ajudar as mulheres como nós a cuidarem da sua imagem não só no seu dia-a-dia, mas principalmente quando tem que enfrentar o desafio de uma entrevista de emprego... aquele que procuram há tanto tempo. Acreditem que este primeiro impacto é o início de uma empatia que pode levar ao sucesso dessa ação.
Esta Associação cumpre uma missão muito ambiciosa mas apoiada em valores muito rigorosos na sua atuação e foi com essa atitude que fomos recebidas na SER +.

Para vos dizer a verdade não sentimos que as mulheres para quem falámos eram portadoras de uma doença que tem causado tanta discriminação na nossa sociedade. São mulheres como qualquer outra que estão fragilizadas e que necessitam de alguém que lhes promova a sua auto estima que é um fator tão importante tanto para o homem como para a mulher e que ajuda a vencer tantas barreiras.

Começar por aquilo que ninguém se lembra (a nossa valorização pessoal é a missão da DRESS), que encontrou na SER+ um parceiro à altura, pois fez questão neste dia tão especial para todas nós de mimar quem mais precisa, as suas utentes.

Um grupo de maquilhadoras esteve sempre ao nosso lado cumprindo as dicas que íamos revelando quanto aos cuidados a ter com a imagem. Em conjunto devolvemos a estas mulheres, aquilo que há tanto tempo se esqueceram "a sua Beleza", sempre tão preocupadas com o seu mal, colocaram de lado o que na realidade são, portadoras desde que nasceram, do encanto feminino. Termino, em nome da Dress For Success Lisboa com um grande Obrigada e felicito todos os profissionais da SER+ por oferecerem diariamente a estas mulheres o significado que tem para todas nós o dia 8 de Março. Bem Hajam
"
 
Ana Neves, Farmácia S. João do Grupo Cordeiro
Ana Neves, Farmácia S. João do Grupo Cordeiro
"No dia 8 encontrámos na Ser+, Mulheres fortes e empreendedoras. Estas mulheres, por terem um espírito lutador, acabam por se constituir como pilares das suas famílias, ficando por vezes com pouco tempo para dedicarem a elas próprias. Seguindo a componente pedagógica que em muito caracteriza as funções do Farmacêutico, escolhemos esta oportunidade para esclarecer as utentes da Ser+ sobre as principais infeções vaginais e a melhor forma de realizar a higiene desta zona tão sensível do seu corpo.
Houve espaço para esclarecer questões, clarificar mitos e demonstrar acima de tudo que mediante hábitos muito simples é possível prevenir infeções e outras complicações. É de louvar este tipo de ações, CONTINUEM COM O VOSSO EXCELENTE TRABALHO! Trouxe-nos enorme satisfação observar como ao longo do dia, na sequência das várias atividades, como a sessão de maquiagem, as dicas sobre vestuário e a importância de rejeição de qualquer tipo de violência, foi crescendo entre estas mulheres um forte sentimento de confiança e uma alegria contagiante. Parabéns Ser+ pela excelente iniciativa!"
 
Ana Frazão, Sara Reis, Ana Sofia Ribeiro, Ana Isabel Santos da Perfumes e Companhia e Ana Frazão, voluntária
Ana Frazão, Sara Reis, Ana Sofia Ribeiro, Ana Isabel Santos da Perfumes e Companhia e Ana Frazão, voluntária
"Para a equipa da Perfumes & Companhia, esta foi uma experiência fantástica, pois pudemos proporcionar um dia diferente, mesmo especial, a mulheres com grande personalidade e gosto pela vida. Conhecemos mulheres únicas com grande vivência que nos encorajam a olhar o futuro com grande otimismo e esperança."
 
Isaura Sigáuque
Isaura Sigáuque, ativista do Programa Dream em Moçambique
"Chamo-me Isaura Sigauque Tembe, tenho 26 anos.
Venho aqui deixar o meu testemunho em relação a uma experiência que passei há poucos anos e que me trouxe muita angústia.
Já fui casada e quando o meu ex-marido me deixou, conheci mais tarde uma pessoa por quem me apaixonei verdadeiramente. Esta pessoa desde o início soube do meu estado serológico e sempre me apoiou e foi cauteloso no uso de preservativo. Um ano depois, penso que esta pessoa é mesmo o homem da minha vida, com quem quero constituir uma família.
Eu estava muito em baixo, não sabia que rumo dar à minha vida. Foi nessa altura que, graças à Deus, por iniciativa própria, descobri o Programa Dream da Comunidade de Sant’Egídio. Se até hoje eu estou de pé é graças a este programa que me recebeu e me tem apoiado bastante. Já recebi ajuda em bens alimentares, tenho acesso às consultas e aos medicamentos contra o VIH e graças a Deus, estou bem.

A minha colaboração com o Programa Dream consiste em procurar pessoas com VIH e que não querem aceitar a sua condição de seropositividade. Converso com essas pessoas, aconselho-as a irem ao hospital e acompanho-as às consultas. Às grávidas aconselho-as a fazerem o teste, para que possam beneficiar do PTV (Prevenção de Transmissão Vertical), se forem seropositivas, livrando assim os bebés da transmissão pelo VIH.

A minha vida, desde que colaboro com o Programa Dream, deu uma volta completa. E foi no âmbito dessa colaboração que no dia 9 de Março do ano em curso, alusivo ao Dia Internacional da Mulher, recebi um convite para ir a Portugal partilhar a minha experiência de seropositividade com outras mulheres. Lá, fiquei impressionada com o elevado índice de estigma, talvez por ser um país do primeiro mundo esperasse que as coisas ou o comportamento das pessoas fosse diferente do meu país, Moçambique, em relação à discriminação e ao estigma das pessoas que vivem com o VIH.

Isaura Sigáuque, na SIC
Mas depois do meu testemunho, na sede da Associação Ser +, onde revelei o meu estado serológico, sem medo e encorajando as mulheres presentes a pautarem-se pelo mesmo comportamento que o meu, fiquei mais impressionada ainda mais quando depois de terminado o meu testemunho cerca de 7 mulheres tomaram coragem e revelaram o seu estado serológico aos presentes.

Foi um momento único, pois senti-me útil na sociedade e fiquei muito agradecida a Deus que me deu forças para tirar aquelas palavras que tocaram quem as ouviu e espero também que tenha contribuído para mudar a vida de algumas delas.

Durante o meu testemunho não deixei de enaltecer o quão estou mais serena, que acredito na vida e cheguei à conclusão que o VIH não é um bicho-de-sete-cabeças, só é preciso saber lidar com ele. É preciso fazer os testes, aderir à medicação, alimentar-nos bem, levar uma vida sem vícios e nada de perder noites.

Aos que não são seropositivos para o VIH, aconselho a não ignorarem as pessoas que vivem com esta infeção. Os que hoje estão infetados, possivelmente, nunca contaram que um dia estariam nessa situação. Usem o preservativo nas relações sexuais, seja com quem for. Não confiem na aparência saudável das pessoas.

Isaura Sigáuque, na TVI
A minha vida continua e alimento sonhos. O grande sonho da minha vida é conseguir formar-me em Medicina.
Obrigado ao Programa Dream e à Ser +
Partilhar Share to Facebook
Se reside na linha de Cascais, venha fazer o teste para o VIH na SER+

Poderá conhecer o seu estatuto serológico para o VIH, Hepatites B, C e Sífilis, nas instalações da SER+. O teste é gratuito, anónimo e confidencial.

Às 2.ª, 4.ª e 6.ª feiras de manhã, entre as 9h e as 12h30. Às 3.ª e 5.ª, à tarde, entre as 14h e as 16h30.

Não precisa de marcação. É por ordem de chegada.

Qualquer dúvida, contacte-nos para o número: 214 814 130 ou para o telemóvel: 917 553 488.

Se a sua organização trabalha com populações vulneráveis ao VIH, Hepatites víricas e outras ISTs e, se pretende distribuir preservativos gratuitamente assim como ensinar a utilizá-los correta e consistentemente, contacte-nos!
Entrega de Medicação em casa - Se for utente do Hospital de Cascais, adira. Se quer saber mais, clique aqui e peça informações.
Centro Anti-discriminação e apoio jurídico.
Legislação e Direitos das Pessoas Infetadas pelo VIH e/ou SIDA - ?O desconhecimento dos direitos e os obstáculos ao acesso aos mecanismos de resposta continuam a dificultar a acção perante práticas discriminatórias e, consequentemente, o seu combate eficaz.?
Novo espaço de atendimento às pessoas que vivem com o VIH. Maior acessibilidade e maior regularidade no acompanhamento psicossocial.