Participações (Cat.Inactiva)
Sobre Nós
Participações (Cat.Inactiva)
Ano 2014
5 a 7 de Outubro, Barcelona
HIV in Europe
Working Together for Optimal Testing and Earlier Care
5 a 7 de Outubro, Barcelona

HIV in Europe é uma iniciativa europeia que foi iniciada em Bruxelas no ano de 2007 e pretende criar uma plataforma por toda a Europa com o objetivo de melhorar o diagnóstico precoce à infeção pelo VIH e o acesso aos cuidados de saúde o mais breve possível. Esta iniciativa foi criada por um grupo de especialistas independentes com representantes da sociedade civil, decisores políticos, profissionais de saúde e por instituições públicas de saúde europeias.

Esta iniciativa tem vindo a provar ser capaz de colocar o tema do diagnóstico precoce à infeção pelo VIH nas agendas políticas e de envolver diferentes stakeholders. Para além disso, tem vindo a ser capaz de iniciar projetos específicos que optimizam a testagem e o acesso aos cuidados de saúde.

Entre os dias 5 e 7 de Outubro, realizou-se, em Barcelona a conferência bianual intitulada HepHIV 2014 Conference: HIV and Viral Hepatitis: Challenges of Timely Testing and Care e, os principais objetivos deste encontro foram:

  1. Demonstrar como as áreas do VIH e das Hepatites víricas se podem misturar reflectindo nas suas próprias experiências;
  2. Dar uma perspetiva de iniciativas inovadoras e de boas práticas sobre este tema em diferentes locais da Europa;
  3. Destacar o que já foi conquistado e discutir os obstáculos encontrados, em ambas as áreas mantendo o foco na chamada "Cascata do Tratamento" no que diz respeito aos casos ainda não diagnosticados, à testagem e ao início do tratamento.
  4. Manter e alimentar o debate das políticas dos testes e da sua implementação a nível nacional com a Comissão e com o Parlamento Europeu, com a OMS, ECDC, EMCDDA e com o Fórum da Sociedade Civil VIH/SIDA da União Europeia e com o Think Tank.
  5. Proporcionar oportunidades para um diálogo multilateral para que sejam desenvolvidas soluções criativas para os desafios ainda pendentes na pesquisa e na implementação de políticas e programas que melhorem o diagnóstico precoce e o acesso aos cuidados de saúde por toda a Europa;
  6. Informar os líderes, incluindo os principais decisores políticos, de como deverão assegurar os seus compromissos de modo a garantir que as pessoas que vivem com o VIH e com Hepatites víricas tenham acesso o mais precocemente possível aos cuidados de saúde;
  7. Consciencializar ainda mais para os problemas da saúde pública associados aos diagnósticos tardios do VIH e das Hepatites víricas.

Integrando a SER+ dois projetos relacionados com o tema em questão, são eles o projeto de prevenção e diagnóstico precoce do VIH, Hepatites e sífilis, e o Projeto Saúde Sexual em Imigrantes, projetos inovadores em Portugal que pretendem levar informação sobre prevenção de doenças sexualmente transmissíveis, desenvolver rastreios, e recolher informação sobre saúde sexual, comportamentos sexuais de risco e prevenção do VIH, junto das populações migrantes, com o objetivo de diminuir as infeções e fazer um levantamento da sua prevalência nestas comunidades, em três zonas geográficas da Grande Lisboa (Cascais, Lisboa e Amadora, Sintra). A SER+ esteve representada por Andreia Pinto Ferreira com o apoio da ABBVIE.

20 de Junho, Lisboa
abbvie
20 de Junho, Lisboa

Mais uma Cimeira do Doente, iniciativa da AbbVie, foi realizada, na Fundação do Oriente, em Lisboa. Um dia dedicado às Associações, aos Doentes e a todos aqueles que contactam com esta área. Um dia dedicado à comunicação e à partilha, para juntos descobrirmos mais valências e chegarmos mais longe e mais bem informados. Deste modo, a SER+ representada por Andreia Pinto Ferreira e Pedro Silvério Marques estiveram presentes e juntamente com outras organizações escutou os primeiros resultados do maior estudo sobre Organizações de Doentes promovido pelo Prof. Dr. Fausto intitulado “As Associações de em Doentes em Portugal: problemas, necessidades e aspirações. Destacamos de igual modo a apresentação feita pela Dra. Ana Paula Cabral da Entidade Reguladora da Saúde e o workshop sobre sustentabilidade dinamizado pelo IES.

11 de Abril, Lisboa 11 de Abril, Lisboa

Três décadas depois do primeiro diagnóstico de VIH/SIDA em Portugal, ainda permanecem dúvidas sobre a prevenção, transmissão, diagnóstico e tratamento da infeção por VIH/SIDA. Esta foi a principal conclusão do Estudo "30 Anos, 30 Mitos do VIH/SIDA", cujos resultados foram apresentados e debatidos na Conferência "Portugal e o VIH/SIDA: 30 Anos, 30 Mitos", no dia 11 de Abril, no Auditório do Diário de Notícias, em Lisboa.

A pesquisa teve como objetivo avaliar o conhecimento geral da população portuguesa sobre esta infeção, desde o diagnóstico, ao tratamento e aos cuidados de saúde prestados. Síntese dos resultados:

  • Um em cada cinco portugueses acredita que o vírus do VIH se transmite através do beijo e que esta doença atinge sobretudo os homossexuais, refere o estudo intitulado "VIH: 30 Anos, 30 Mitos".
  • Trinta anos após o primeiro caso de sida em Portugal, este estudo realizado por uma empresa de estudos de mercado conclui que 22% dos inquiridos considera que esta infeção se pode transmitir pelo beijo, o que não é verdade. Esta percentagem sobe para 35% na população com 65 ou mais anos.
  • O estudo, ao qual a agência Lusa teve acesso, inquiriu no final do ano passado 600 indivíduos, dos quais 37% considera que "estar infetado com VIH é o mesmo que um diagnóstico de morte prematura".
  • Um quinto dos participantes também acredita que a infeção pelo VIH/Sida pode transmitir-se em piscinas, casas de banho e transportes, o que é falso. Tal como a ideia que "ser picado por um inseto que picou uma pessoa infetada é uma forma de transmissão".
  • Relativamente ao teste ao VIH, 12% dos indivíduos acredita erradamente que uma empresa pode obrigar os seus funcionários a fazerem este teste e 51% acredita que uma empresa pode fazer o teste aos seus funcionários sem eles saberem.
  • Quanto ao tratamento, 66% dos inquiridos considera que "o tratamento da infeção pelo VIH/Sida tem muitas contraindicações e muitos efeitos adversos", embora "desde o desenvolvimento da terapêutica antiretrovírica combinada que têm vindo a ser desenvolvidos regimes terapêuticos mais efetivos, simples e com melhor perfil de tolerabilidade".
  • O estudo indica que 70% contaria aos seus amigos se estivesse infetado pelo vírus, 89% não se importa de cumprimentar uma pessoa infetada pelo VIH e 35% não se importaria de ter uma relação afetiva com uma pessoa infetada pelo VIH.

O projeto foi da responsabilidade da GfK Metris em parceria com a Gilead Sciences, com o apoio das associações GAT, Positivo e Ser +.

22 de Janeiro, Infarmed, Lisboa 22 de Janeiro, Infarmed, Lisboa

A SER+ com o seu projeto "Diagnóstico precoce e acesso aos cuidados de saúde" em Cascais com população migrante, foi distinguida, a par de outros 13 projetos, pelo seu contributo significativo ao nível da otimização da prática clínica, da melhoria da qualidade de vida dos doentes e dos resultados em saúde através do Programa Gilead Génese. A AJPAS e o GAT foram igualmente distinguidos exatamente com o mesmo projeto mas em zonas geográficas diferentes.

15 de Janeiro, Cascais
Rede Social Cascais
15 de Janeiro, Cascais

Persistem barreiras à deteção do VIH, principalmente em determinados grupos populacionais que apresentam maior vulnerabilidade à infeção como é o caso da População sem-abrigo.

A SER+ foi convidada recentemente para integrar a estrutura do Grupo de Planeamento da Intervenção com os Sem-Abrigo (GPISA) em Cascais juntamente com outras entidades para além do Serviço Local da Segurança Social, do Agrupamento de Centros de Saúde de Cascais e da Câmara Municipal de Cascais, através da Divisão de Promoção da Saúde (DIPS) de modo a coordenar e executar o Plano Concelhio para a Integração de Pessoas Sem Abrigo para o período 2014-2018, promovido no contexto da rede social de Cascais.

Partilhar Share to Facebook
Se reside na linha de Cascais, venha fazer o teste para o VIH na SER+

Poderá conhecer o seu estatuto serológico para o VIH, Hepatites B, C e Sífilis, nas instalações da SER+. O teste é gratuito, anónimo e confidencial.

Às 2.ª, 4.ª e 6.ª feiras de manhã, entre as 9h e as 12h30. Às 3.ª e 5.ª, à tarde, entre as 14h e as 16h30.

Não precisa de marcação. É por ordem de chegada.

Qualquer dúvida, contacte-nos para o número: 214 814 130 ou para o telemóvel: 917 553 488.

Se a sua organização trabalha com populações vulneráveis ao VIH, Hepatites víricas e outras ISTs e, se pretende distribuir preservativos gratuitamente assim como ensinar a utilizá-los correta e consistentemente, contacte-nos!
Centro Anti-discriminação e apoio jurídico.
Legislação e Direitos das Pessoas Infetadas pelo VIH e/ou SIDA - ?O desconhecimento dos direitos e os obstáculos ao acesso aos mecanismos de resposta continuam a dificultar a acção perante práticas discriminatórias e, consequentemente, o seu combate eficaz.?
Novo espaço de atendimento às pessoas que vivem com o VIH. Maior acessibilidade e maior regularidade no acompanhamento psicossocial.
Contas
Plano Estratégico
Estatutos
Donativos
Facebook
© 2018 SER +. Todos os Direitos Reservados.
Design e Desenvolvimento: Vectweb®SM