Diagnóstico Precoce para migrantes na Amadora, Cascais, Lisboa e Sintra
O que Fazemos
Testes rápidos ao VIH e Hepatites Víricas » Diagnóstico Precoce para migrantes na Amadora, Cascais, Lisboa e Sintra
Diagnóstico Precoce para migrantes na Amadora, Cascais, Lisboa e Sintra
 
COMUNICAÇÃO

A AJPAS, o GAT e a SER+, com os seus projetos "Diagnóstico precoce e acesso aos cuidados de saúde" dirigido à população migrante, foram distinguidas, a par de outros 11 projetos, pelo contributo significativo ao nível da otimização da prática clínica, da melhoria da qualidade de vida dos doentes e dos resultados em saúde pelo Programa Gilead Génese.

Um projeto inovador em Portugal vai levar informação sobre prevenção de doenças sexualmente transmissíveis e desenvolver rastreios, junto das populações migrantes, com o objetivo de diminuir as infeções e fazer um levantamento da sua prevalência nestas comunidades em três zonas geográficas da Grande Lisboa (Cascais, Lisboa, Amadora, Sintra), a partir de abril, disse Daniel Simões.

Este projeto surge porque a evidência tem mostrado que a população migrante apresenta um risco aumentado de infeção pelo VIH, pelas hepatites C e B e pela sífilis, resultante das condições e das características dos processos migratórios.

A natureza do seu estatuto legal, as barreiras linguísticas e culturais, a falta de informação, a exclusão social, assim como um tendencial menor acesso aos serviços de saúde potenciam o isolamento e colocam os imigrantes em maior risco de exposição a infeções sexualmente transmissíveis, acrescentou.

O mês de Abril será totalmente dedicado à formação de técnicos e de mediadores comunitários, assim como ao mapeamento das regiões a abranger.


Luís Mendão
 
 
Fernando Leal da Costa,
Secretário de Estado Adjunto
do Ministro da Saúde
Dra. Sónia Dias do Instituto de Higiene e Medicina Tropical pelo profundo conhecimento que tem vindo a desenvolver junto destas populações especificas mostrou o que a ciência já conhece... "(...) têm dificuldade no acesso aos serviços de saúde (...) em chegar a centros de despistagem que são anónimos, gratuitos e voluntários (...)" e o que ainda falta conhecer "(...) as razões que estão por detrás destes obstáculos (...) conhecer os determinantes (...)" assim como a importância de a investigação se unir cada vez mais às organizações de base comunitária "(...) cada vez mais a própria Academia tem tornado diferente a forma de investigar nestas áreas (...) precisamos de uma participação comunitária bastante forte".
Sobre incentivos à investigação, à produção de conhecimento, ao desenvolvimento científico, à geração de dados e à implementação de boas práticas na melhoria da qualidade de vida dos doentes e dos resultados em saúde ouviu-se a Dra. Tânia Furtado, porta voz do Programa Gilead Génese.
O Dr. António Diniz, na qualidade de diretor do Programa Nacional de Prevenção e Controlo VIH/SIDA falou da vulnerabilidade destas populações à infeção pelo VIH "(...) a prevalência da infeção pelo VIH na população em geral, em Portugal é de 0.7% (...) em algumas populações a prevalência da infeção é 5 a 10 vezes superior (...)" e das estratégias previstas por parte do programa nacional para reduzir novos casos de infeção e para reduzir o estigma e a discriminação junto dos migrantes.

Para ouvir a emissão na integra clique Aqui »
 

Partilhar Share to Facebook
Se reside na linha de Cascais, venha fazer o teste para o VIH na SER+

Poderá conhecer o seu estatuto serológico para o VIH, Hepatites B, C e Sífilis, nas instalações da SER+. O teste é gratuito, anónimo e confidencial.

Às 2.ª, 4.ª e 6.ª feiras de manhã, entre as 9h e as 12h30. Às 3.ª e 5.ª, à tarde, entre as 14h e as 16h30.

Não precisa de marcação. É por ordem de chegada.

Qualquer dúvida, contacte-nos para o número: 214 814 130 ou para o telemóvel: 917 553 488.

Se a sua organização trabalha com populações vulneráveis ao VIH, Hepatites víricas e outras ISTs e, se pretende distribuir preservativos gratuitamente assim como ensinar a utilizá-los correta e consistentemente, contacte-nos!
Centro Anti-discriminação e apoio jurídico.
Legislação e Direitos das Pessoas Infetadas pelo VIH e/ou SIDA - ?O desconhecimento dos direitos e os obstáculos ao acesso aos mecanismos de resposta continuam a dificultar a acção perante práticas discriminatórias e, consequentemente, o seu combate eficaz.?
Novo espaço de atendimento às pessoas que vivem com o VIH. Maior acessibilidade e maior regularidade no acompanhamento psicossocial.
Plano Estratégico
Estatutos
Donativos
Facebook
© 2017 SER +. Todos os Direitos Reservados.
Design e Desenvolvimento: Vectweb®SM