A prevenção funciona
O Impacto do VIH
Homens que têm sexo com Homens
A prevenção funciona

Quando os HSH são alvo de campanhas de prevenção do VIH, pode ser extremamente eficaz. Intervenções comportamentais que visam alcançar os HSH contribuíram para a redução do número de homens que fazem sexo anal sem proteção em 43% e em 81% no aumento de homens que passaram a usar preservativo.

PRESERVATIVOS E LUBRIFICANTES:
Uma das respostas de prevenção mais importante é fazer preservativos de alta qualidade, juntamente com lubrificantes aquosos, disponíveis e acessíveis aos HSH (se não forem utilizados preservativos suficientemente fortes, podem-se rasgar e, se forem usados lubrificantes à base de óleo, em vez dos à base de água, podem danificar os preservativos). Em alguns países, bares de gays e outros pontos de encontro conhecidos pelos HSH, tais como saunas, fornecem a promovem preservativos e lubrificantes. Ações de prevenção bem-sucedidas também foram realizadas por profissionais no terreno e por formadores de pares, que se reúnem com os HSH para lhes dar preservativos, lubrificantes e outras informações.

EMPOWERMENT:
tal como no caso dos trabalhadores do sexo, muitas das campanhas mais bem-sucedidas destinadas aos HSH passou por capacitar e envolver esta população. Isto faz sentido do ponto de vista prática bem como do ponto de vista ético: a resiliência e as estratégias que a grande parte da população já adotou podem e devem ser utilizadas no desenvolvimento de programas de prevenção.

"Capacitar os HSH e outros grupos marginalizados de forma a serem os próprios a protegerem-se da infeção pelo VIH, é uma das maiores prioridades de saúde pública do mundo."

Peter Piot ex-Secretary-General of the United Nations

Mesmo em países onde ser homossexual não é reconhecido e onde serviços de VIH para homens gays são quase inexistentes, grupos de HSH fizeram a diferença em algumas áreas, na India, por exemplo, o trabalho desenvolvido por pares resultou num aumento significativo na utilização do preservativo na cidade de Mumbai, onde um estudo revelou que mais de 2/3 de preservativos usados por HSH foram aqueles que foram entregues pelos pares.

Em alguns países tem sido entendido que a luta contra o preconceito e a mudança de atitude pública para com os HSH, são medidas de prevenção importantes. No México, o governo nomeou um gay assumido e seropositivo para o VIH como dirigente do Conselho Nacional para a SIDA e ele foi a força motriz de uma grande campanha de âmbito nacional para reduzir a homofobia.

Outra abordagem de sucesso foi a introdução dos "espaços seguros" onde os HSH podem conhecer-se, falar abertamente e usufruir de serviços de saúde sexual, incluindo a possibilidade de fazer o teste e aderir ao tratamento. Sem serem alvo de qualquer estigma ou discriminação. Os HSH, geralmente, são portadores de IST's muito específicas e muitas vezes, sentem-se desconfortáveis indo aos serviços públicos de saúde convencionais. O diagnóstico precoce é crucial para prevenir o VIH entre HSH. Um estudo com HSH recentemente infetados pelo VIH revelou que a maioria dos inquiridos reduziram substancialmente o risco de transmissão depois de serem diagnosticados e de terem recebido aconselhamento.

PREVENÇÃO ATRAVÉS DA INTERNET:
A internet pode ser outro meio eficaz de chegar aos HSH pelo número cada vez mais de gays que se reúnem on-line, em chats, não só em países industrializados como em países como as Filipinas e o Perú. Alguns sites usados por HSH colocaram conselheiros nos chats rooms, usaram animação para educar as pessoas sobre o VIH e incentivaram os cibernautas a exporem o seu estatuto serológico.

Partilhar Share to Facebook
Se reside na linha de Cascais, venha fazer o teste para o VIH na SER+

Poderá conhecer o seu estatuto serológico para o VIH, Hepatites B, C e Sífilis, nas instalações da SER+. O teste é gratuito, anónimo e confidencial.

Às 2.ª, 4.ª e 6.ª feiras de manhã, entre as 9h e as 12h30. Às 3.ª e 5.ª, à tarde, entre as 14h e as 16h30.

Não precisa de marcação. É por ordem de chegada.

Qualquer dúvida, contacte-nos para o número: 214 814 130 ou para o telemóvel: 917 553 488.

Se a sua organização trabalha com populações vulneráveis ao VIH, Hepatites víricas e outras ISTs e, se pretende distribuir preservativos gratuitamente assim como ensinar a utilizá-los correta e consistentemente, contacte-nos!
Entrega de Medicação em casa - Se for utente do Hospital de Cascais, adira. Se quer saber mais, clique aqui e peça informações.
Centro Anti-discriminação e apoio jurídico.
Legislação e Direitos das Pessoas Infetadas pelo VIH e/ou SIDA - ?O desconhecimento dos direitos e os obstáculos ao acesso aos mecanismos de resposta continuam a dificultar a acção perante práticas discriminatórias e, consequentemente, o seu combate eficaz.?
Novo espaço de atendimento às pessoas que vivem com o VIH. Maior acessibilidade e maior regularidade no acompanhamento psicossocial.